NEVOEIRO e NEBLINA

Muitas pessoas interpretam ou se confundem nas expressões sobre o tema neblina e nevoeiro, assim sendo, este material tem objetivo de simplificar o entendimento e saber classificar ou diferenciar.

Nevoeiro é uma densa cortina de gotículas que impedem a visibilidade em menos de 1000 metros de alcance.

Neblina, já é mais além de 1000 metros e é de situação da dissipação do nevoeiro, e é um fenômeno que requer muita atenção e observação na aeronáutica.

Portanto, esse material serve para melhor identificar e o tema central é NEVOEIRO  e suas características físicas atmosféricas:

 

O QUE É ¨NEVOEIRO¨

            É uma nuvem com a base junto à superfície do solo, e ocorre quando o ar atmosférico se satura e resfria pela atividade radiativa, advectiva  por adição de água em forma de vapor ou também por expansão adiabática.

RESFRIAMENTO POR RADIAÇÃO:

Ocorre quando a superfície do solo absorveu o calor (irradiação solar) durante o dia e com grande potencial de RADIAÇÃO,  perde rapidamente o calor para o ar atmosférico durante a noite, e isso ocorre em condições de céu limpo (sem nuves), e com ventos fracos,  e ainda com solo úmido e consequentemente com umidade relativa do ar atmosférico alta e quando assim, se ocorrer resfriamento da massa de ar próximo à temperatura do ponto de orvalho forma uma densa cortina de gotículas suspensas.

NEVOEIRO  RASO : Se o ar está calmo praticamente sem vento ou abaixo de 1 m/seg, e de forma descontínua, forma-se em camadas de menos de um metro, mas para um nevoeiro se formar espessura maior, requer um maior potencial de mistura e de arraste,ou seja com ventos mais fortes, e que passa a transferir calor para a superfície fria, fazendo com que uma camada maior se resfrie até abaixo do ponto de orvalho que é a temperatura que o vapor necessita para se condensar (mudar de estado gasoso para o estado líquido) elevando a massa de  nevoeiro para cima  entre 10 a 30 metros de altura.

NEVOEIRO DE SUPERFÍCIE: Forma-se a partir de uma inversão térmica de superfície causada pelo resfriamento radiativo que ocorre durante uma noite. Um simples resfriamento não é suficiente para formar nevoeiro, e quando em noites com ventos muito calmos, há muita chance de isso ocorrer. Assim, quanto mais forte for o vento, menor é a chance de uma inversão térmica de superfície ocorrer, devido a turbulência associada ao campo de vento, que irá transferir o calor para baixo. Quando há nebulosidade, a parte da radiação da superfície do solo e é absorvida pelas nuvens e refletida de volta sendo reabsorvida pela superfície, impedindo assim a formação de nevoeirose consequentemente uma temperatura mais confortável. Assim em noite calma e de céu aberto permite que a radiação emitida pela superfície dissipe pela atmosfera acima, dando condições  para resfriamento do ar envolto à superfície, formando o nevoeiro superficial que são rasos e desaparecem rapidamente pela ação da radiação  luz do sol nos primeiros momentos do nascer de um novo dia.

NEVOEIRO DE ALTA INVERSÃO: Fenômeno típico da estação do inverno, trata-se de  nevoeiro do tipo radiativo, e que ocorre sobre as  superfícies continentais, e se forma pela perda radiativa de calor por vários e vários dias e  de forma contínua o que é característica das regiões extra-tropicais durante o inverno.

NEVOEIRO DE ADVECTIVO : É o fenômeno atmosférico que ocorre quando uma massa de ar quente e úmido passa sobre uma superfície fria, e por contato e  mistura com o ar frio perde o calor, e se satura e para essa formação o ar atmosférico tem que entrar em turbulência o que  facilita o resfriamento de uma camada mais espessa, e que eleva o nevoeiro para alturas.

 

Fonte de pesquisa: METEOROLOGIA BÁSICA E SUAS APLICAÇÕES – VIANELLO, Rubens Leite &  ALVES, Adil Rainier – Edit. U.F.Viçosa – MG

 

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. Both comments and pings are currently closed.

Comentários encerrados.