Publicações mais recentes

CONDIÇÕES METEOROLÓGICAS NO INÍCIO DE MARÇO 2011

MARÇO:

¨AGUAS DE MARÇO FECHANDO O VERÃO¨

Na região SUDESTE do BRASIL, é histórico a ocorrência de muitas instabilidades atmosféricas, devido às tendências transitórias do ambiente quente e muito úmido para o ambiente frio e seco que é o Inverno e da estação Outono.
Portanto, gradativamente teremos a cada aguaceiro como está acontecendo neste início de Março, chuvas mais contínuas e temperaturas mais baixas principalmente na máxima do dia. Na sequência, teremos a recuperação da temperatura máxima com a volta do calor e abafamento, que é um fator preponderante da física atmosférica ou seja, vem o calor, abafamento e dá a condição de formação de frente fria, que se aproxima e é muito perigoso nessa condição, chuvas fortes, ventos e chances de granizo e muitas descargas elétricas atmosféricas.
Portanto, teremos ainda até o final desta sexta feira, condições de chuvas contínuas, grande enxarcamento do solo que já estão bem saturados, tendendo a deslizamentos e rompimentos de taludes.

Apresentação na Câmara Municipal de Limeira

Veja abaixo o vídeo da apresentação do protótipo de alerta de enchentes na Câmara Municipal de Limeira:

Balanço Meteorológico – Fevereiro 2011

 

TOTAL DE CHUVAS: 186,3 mm.

Nº DE DIAS COM REGISTRO DE CHUVA: 12

Nº DE DIAS SEQUENTES COM REGISTRO DE CHUVAS: 6 PARES DE DIAS:

DIAS 2 e 3 – 13 e 14 – 16 e 17 – 21 e 22 – 24 e 25 – 27 e 28

Nº DE DIAS COM CHUVAS NÃO SEQUENTES: 0

Nº DE DIAS SEM CHUVAS: 16

N° DE DIAS SEQUENTES SEM CHUVA (estiagem): 9 DIAS – 3 a 13

MAIOR PRECIPITAÇÃO: 52,2mm. DIA 25

VELOCIDADE MÁXIMA DO VENTO: 35,1 km./h dia 10


TEMPERATURA MÁXIMA :

1- Abrigo meteorológico: 34,0°C

2- Externa à sombra: 38,9°C


TEMPERATURA MÍNIMA :

1- Abrigo meteorológico: 19,9°C

2- Externa do abrigo à sombra: 19,4°C

Obs.: DA MÉDIA ANUAL – 58,7% JÁ PRECIPITADOS
TOTAL DE CHUVAS ACUMULADAS NO ANO: 770,4 mm
MÉDIA = 1311,61 mm. ( 37 anos ) – desconsiderando 1981 (falha)

 

FT-Unicamp desenvolve sensor para avisar pedestres e motoristas sobre enchentes

Prof. Hiroshi e o aluno Estevão na apresentação do projeto

Estudantes e professores da Faculdade de Tecnologia (FT/Unicamp) de Limeira desenvolveram um sensor que serve para evitar acidentes e prejuízos à população nos dias de chuva com ocorrência de enchentes.

O sistema é simples e pode salvar vidas. Funciona como um semáforo, que indica se o volume de água permite a passagem das pessoas, seja de carro ou a pé. Quando os motoristas se aproximarem de áreas de risco, onde há alagamentos, o sensor vai indicar, por meio de um sinal verde, amarelo ou vermelho, se existe condição para passagem. O verde indica que é possível, o amarelo (para alguns tipos de automóveis) e o vermelho, que há perigo.
O professor de Hidrologia do Ceset/Unicamp, Hiroshi Paulo Yoshizani, foi até a Câmara Municipal anteontem, e fez o uso da Tribuna Livre para demonstrar o protótipo e levantar a questão, com o objetivo de ganhar apoio dos parlamentares e levar a ideia até o prefeito Silvio Félix (PDT).
De imediato, ele recebeu a mensagem de que o projeto é bem-vindo, apesar da necessidade de que seja trabalhada a prevenção aos alagamentos.
Trabalharam no protótipo, além de Hiroshi (que idealizou o sensor), o professor de Eletrônica do curso de Sistemas em Telecomunicações da Unicamp, Francisco Arnold, além dos estudantes Estevão Nicoletto e Rodrigo Ximenes.
Hiroshi explicou que as placas com os sensores podem ser instaladas onde houve risco de alagamentos, para evitar acidentes como quedas de pedestres ou mesmo de veículos em buracos. “A proposta é que as placas sejam pintadas e quando a água atingir a marca dos 20 centímetros, o sinal verde acenda, quando passar dessa marca, o amarelo acenda, e assim, quando o vermelho for acionado, fica advertido que a passagem não deve ser feita”, concluiu.

MORTE RECENTE
Luciana de Souza Ferreira, 35 anos, moradora do Campo Belo, desapareceu no início da madrugada do dia 6 de janeiro e seu corpo foi encontrado por volta das 14h30, no Ribeirão Tatu, no Bairro do Tatu. Ela e seu carro foram arrastados pela correnteza durante o temporal que devastou várias regiões da cidade, quando tentava a travessia em um dos pontos mais críticos, na entrada do Bairro Cecap, onde o córrego Barroca Funda transbordou.

Fonte: Bruna Lencione – Gazeta de Limeira (http://www.gazetadelimeira.com.br/Noticia.asp?ID=46085)